Conheça o projeto do Alessandro Deretti, o BikeRafting! Convidamos o Alessandro pra fazer uma série de postagens aqui no blog, relatando uma experiência inédita, que mistura mountain bike, cicloturismo e rafting (isso mesmo, ele leva um bote inflável na bicicleta). Nessa postagem, descubra um pouco mais sobre o bikerafting. 

bikerafting

Antes de começar explicar o que é o bikerafting, gostaria de falar de uma das dificuldades que encontrei pela frente fazendo ciclo turismo de aventura: quando estamos fazendo uma viagem de bicicleta por lugares não muito conhecidos, não sabemos o que vamos encontrar pela frente.

Vou citar um exemplo de uma viagem bem bacana que sempre faço, do Chui a Montevideo, no Uruguai: são 5 dias de viagem por lindas paisagens com uma media de 70 km percorridos por dia. Na metade da viagem, entre La Paloma a Punta de Leste, se encontra a Laguna Rocha: que se conecta com o mar. Se a lagoa esta fechada, você consegue passar sem grandes problemas apenas com a bicicleta desfrutando de uma paisagem sem igual, se estiver aberta e conectada com o mar, você deverá achar um barqueiro para lhe ajudar a atravessar o lago, obviamente arcando com alguma despesa. Ou o seu percurso vai aumentar no mínimo 40 quilômetros. *leia aqui o relato do BikeHandling, no mesmo percurso do Alessandro

bikerafting-laguna-de-rocha

Já fiz este caminho 4 vezes, e sempre me peguei pensando: se eu tivesse um barco portátil ou algo que me ajudasse a fazer essa travessia sem problemas, seria uma beleza! Um sonho quase impossível… pensado que eu teria de carregar o barco junto da bicicleta.

Eis que um dia estou assistindo televisão em um canal de aventura (discovery, history channel ou natgeo, não lembro exatamente…) e me deparo com um homem, descendo um rio, em um bote bem pequeno, e inflável. Vendo aquilo, fiquei encantado e curioso, muito curioso. Pesquisei um pouco e vi que o nome do programa era “Homens da Montanha”. Resolvi então, aprofundar pesquisa na internet e descobri que estes botes podem ser individuais, ou para duas pessoas. São muito leves para carregar na mochila sem grandes problemas, e batizados de PACKRAFTING.

bikerafting_maq_02O bote pronto para a travessia

Achei fantástico. Pesquisando mais a fundo ainda, vi que é muito usado por caçadores e exploradores de lugares mais inóspitos do Alaska e Sibéria. Estudando um pouco mais, averiguei que era possível carregar uma bicicleta desmontada sobre o bote juntamente com as bagagem.

Achei a solução para os meus problemas! O BIKERAFTING!

bikerafting2Preso no guidão: o bote

Saí fascinado a procura de um site que eu pudesse comprar e depois de muitas pesquisas descobri que o bote não é vendido no Brasil. Somente no exterior, encontrei um site Alemão e com 600 Euros consegui comprar o barco e um colete, ambos infláveis: muito importante, pensando em segurança, espaço e peso.

O barco que adquiri é um Nortik fabricação Russa. Muito usado na Sibéria. O meu bote, junto com colete, remo e saco para inflar, pesa somente 4 kilos. Quando inflado, mede 220x60cm. Quando está sendo transportado, tem volume médio de 10 litros.

Depois da chegada do barco, chegou a época dos testes. Usei muito no rio Maquiné/RS. Como viagem inaugural, fiz um trajeto de 70km em bicicleta (mesclados de asfalto e estrada de chão) e depois a descida do Maquiné até a praia de Capão da Canoa. 15 kilometros de água.

bikerafting_maq_03

Após testar e descobrir que com certeza os meus problemas estavam resolvidos, resolvi leva-lo para uma das minhas mais audaciosas aventuras, a Ciclo Expedição que realizei em fevereiro de 2016 na Argentina e Chile na região dos lagos. Onde fiz um curta-metragem e uma minissérie. Mas está é outra história que contarei em outro post.

SUERTE!

Siga o Bikerafting no FACEBOOK e INSTAGRAM.

Fotos e texto por Alessandro Deretti

Anúncios