A partir deste post vamos acompanhar o Freitas na expedição Expresso Patagônia, uma cicloviagem solo que percorrerá 11.000km pelo Extremo da América do Sul. De tempos em tempos, teremos atualizações, coordenadas, reviews, relatos e registros fotográficos do Expresso Patagonia aqui no blog.

cicloturismo gravel expresso patagonia 1

Há 3 anos atrás eu me desliguei das atividades em uma empresa de formato tradicional de trabalho: escritório, chefes, relatórios, auditorias, metas. Neste período, busquei conectar o formato de trabalho com outros lazeres, um deles o skate downhill. As prioridades foram mudando e eu senti que não praticava o skate com a mesma frequência e vontade de antes. Passado um tempo, comprei uma bicicleta para deslocar-me entre casa /trabalho. Percorria 26km todos os dias, sol ou chuva entre PoA e Canoas, cidade satélite. Fiz isso por 2 anos.

Me agradei por completo com as sensações que tinha nos momentos de deslocamentos e não demonstrava mais tanto interesse nos ideais no formato de trabalho vertical e hierárquico e aproveitei uma oportunidade de me desligar de tal. Hoje eu faço parte do time da Pedal Express, uma cooperativa horizontal autogestionada de entregas em bicicletas, localizada em Porto Alegre. Foi uma das primeiras soluções de ciclo entregas do Brasil atuando desde 2010. Me faço presente há um pouco mais de dois anos, e já realizei mais de 3500 entregas.

cicloturismo gravel expresso patagonia pedal express bike messenger

Me sinto muito bem em trabalhar em algo que acredito e gosto de fazer. Convivo com pessoas excepcionais que me ensinam todos os dias. Existem momentos explosivos, nem sempre são flores. Mas isso é em qualquer lugar, basta saber entender e aprender com os fatos.

A vontade de viajar em bicicleta surgiu ano passado após uma viagem para o Chile, onde eu, Palito, Suryan, Igor e João fizemos um percurso de aproximados 160km no Parque Nacional Torres del Paine completando o circuito “Q” em 9 dias.

cicloturismo gravel expresso patagonia torres del paine 2

cicloturismo gravel expresso patagonia torres del paine

Relato do Absorva Distância dessa viagem  / Registro fotográfico por Suryan Cury

A partir de então, comecei a maturar a ideia. Até o ano passado nunca havia tido uma bicicleta com sistema de marchas e pedalava numa bicicleta de pinhão fixo. Havia um longo caminho de dedicação e aprendizado. Nesse meio tempo eu comprei bicicleta, troquei peças, quebrei peças, perdi, comprei, vendi, fui roubado, garimpei e pedalei.

Em fevereiro deste ano fiz minha primeira cicloviagem, pouco antes de roubarem a “boa” bicicleta que eu havia montado. Entre PoA e Rio Grande havia pouca altimetria então não foi nada complicado pedalar de bicicleta fixa + as tralhas. Fui acompanhado de Palito e Mario e no caminho encontramos a Isa, Tássia e um casal de ciclo viajantes que estão na estrada a caminho do Alaska 🙂

Viagem da Isadora e Tássia / Casal rumo ao Alasca

cicloturismo gravel expresso patagonia fixed gear bike messenger2

Com o passar dos meses, garimpei uma nova bicicleta, peças, sistemas, barracas e tudo mais que eu necessitava obter para ser autossuficiente durante o meu plano de viagem, linkando minha rotina na Pedal com pequenos roteiros de viagem de 2 a 4 dias pra aclimatar e conhecer meus equipamentos.

Na segunda quinzena de outubro, iniciarei uma ciclo viagem na qual percorrerei mais de 8000km e pretendo passar por 3 países da América do Sul, saindo de Porto Alegre rumo ao Ushuaia, na Terra do Fogo, percorrendo o litoral uruguaio e leste argentino. Após, cruzarei a fronteira em direção à capital chilena. Levando em consideração que gostaria pedalar 80km/dia, levarei cerca de 5 meses pra finalizar o percurso. Meu planejamento conta com no mínimo 1 semestre de viagem, podendo estender este prazo baseando-se na minha resistência, capital e adversidades. Almejo conhecer a Bolívia e Peru.

A expedição é composta de um homem só. Será uma possibilidade de auto-conhecimento, de intimidar-se com a natureza e respeitá-la, acampar em lugares diferentes, conhecer pessoas, aprender, ensinar, gostar do Sol e da Lua e quem sabe se chatear com a chuva. Ter medo de vento e escuro, saber lidar com os imprevistos, sentir frio e calor, ajudar e ser ajudado e pedalar.

cicloturismo gravel expresso patagonia morro da tapera 1

Sobre o pedalar, digo que pedalarei devagar, calmo e tranquilo, contemplando lugares. Só que não vai ser sempre assim, eu sei que não consigo… sei que vou pedalar forte, percorrer estradas pavimentadas com velocidade e estradas acidentadas com a precisão necessária. Vencerei as adversidades que insistem em se colocar na frente da minha roda dianteira: vento, chuva, frio, tráfego de caminhões, estradas esburacadas, dias ou noites, solidão.

Além dos vários itens essenciais, levarei comigo uma câmera fotográfica para congelar algumas das visões da viagem, e publicarei, quando for oportuno, um relato sobre a minha experiência aqui, no BikeHandling. No decorrer das semanas que antecedem a data de saída, falarei sobre os equipamentos e preparos da bicicleta pra instigar e trocar ideias com quem pretende ou possui experiência em ciclo viagens.

Sorte.

Outros links do Expresso Patagônia: viagem para Imbituba e Cambará do Sul

Tem interesse em apoiar essa viagem?
Envie um email para expressopatagonia@bikehandling.com.br

 

 

Anúncios